Ataque no Sinai mata ao menos 8 policiais egípcios

Outras 13 pessoas ficaram feridas na explosão de um carro-bomba em posto de segurança na cidade egípcia de Al-Arish; nenhum grupo reivindicou de imediato de autoria do ataque

O Estado de S. Paulo

09 Janeiro 2017 | 08h24

CAIRO - Ao menos oito policiais foram mortos em um ataque a um posto de segurança na cidade egípcia de Al-Arish, no norte do Sinai, nesta segunda-feira, 9, disseram fontes médicas e da área de segurança.

O ataque foi realizado com um carro-bomba, utilizando um veículo de limpeza de rua que os agressores tinham roubado dias atrás, disseram três fontes de segurança à Reuters. Depois que a bomba explodiu, os agressores abriram fogo com lança-granadas contra o posto de segurança, acrescentaram.

Não houve reivindicação de imediato de autoria do ataque, que ainda deixou 13 feridos, incluindo quatro civis. A polícia encontrou o corpo de um dos agressores, que estava no volante do veículo que explodiu.

Uma insurgência islâmica na península do Sinai tem ganhado ímpeto desde que o Exército derrubou o presidente Mohamed Morsi, da Irmandade Muçulmana, o movimento islâmico mais antigo do Egito, em meados de 2013, após protestos em massa contra seu regime.

O grupo militante que realiza a insurgência no Sinai jurou aliança ao Estado Islâmico em 2014 e adotou o nome Província do Sinai. O movimento é apontado como culpado de matar centenas de soldados e policiais egípcios desde então.

Em novembro, o Estado Islâmico reivindicou a responsabilidade por um ataque a um posto de segurança que matou 15 soldados. / REUTERS

Mais conteúdo sobre:
EgitoTerrorismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.