Ataque suicida a ônibus com pergrinos xiitas mata 13 no oeste do Paquistão

Dois dos mortos são da equipe de policiais que fazia a escolta do veículo

Efe,

29 de junho de 2012 | 04h22

ISLAMABAD - Pelo menos 13 pessoas morreram e 30 ficaram feridas em um atentado suicida contra um ônibus de peregrinos xiitas na cidade de Quetta, no oeste do Paquistão, nesta sexta-feira, 29.

 

Duas das vítimas fatais eram membros da equipe policial que escoltava o veículo, que procedia da fronteira iraniana e foi atacado ontem, 28, à noite na área de Hazar Ganji, precisou um chefe policial local, Chaudhry Mushtaq. O secretário do Interior provincial, Nasibulah Bazai, declarou ao jornal local "Express Tribune" que o ataque contra o veículo, que transportava 50 passageiros, foi perpetrado com um carro-bomba acionado por um suicida.

 

 

Segundo "Express Tribune", o grupo armado Lashkar-e-Jhangvi reivindicou o ataque, e um porta-voz da organização, Abu Bakar, afirmou que teria sido produzido em represália a ataques contra madraçais (escolas muçulmanas) e centros do grupo islamita Jamaat Tabligh. Fontes da Secretaria do Interior citados pelo "Express Tribune" afirmaram que outro ônibus com 30 peregrinos se salvou da explosão porque a Polícia o detivera previamente para revistá-lo.

 

Quetta é a capital da convulsa província do Baluchistão, que ocupa todo o sudoeste do país e é a demarcação mais extensa e menos povoada do Paquistão. Na parte norte da província, fronteiriça com as áreas tribais, agem diversas milícias talibãs e outros grupos radicais sunitas que frequentemente cometem atentados sectários contra a minoria xiita.

Tudo o que sabemos sobre:
TerrorismoxiitaPaquistãoataquebomba

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.