Ataque suicida atinge cidade fronteiriça do Níger

Poucas horas após um ataque do grupo extremista Boko Haram ter sido reprimido pelo exército na cidade fronteiriça de Diffa, no Níger, um ataque suicida foi registrado na mesma localidade. De acordo com testemunhas, uma mulher-bomba detonou explosivos no mercado de pimenta da cidade, que atrai negociantes e clientes da Nigéria e de outros países da região.

Estadão Conteúdo

08 de fevereiro de 2015 | 12h04

"Esta jovem garota que vestia os explosivos os detonou no meio do mercado. Neste momento, o mercado está cercado por soldados, e o resto da cidade também", disse Kader Lawan, morador de Diffa. Segundo ele, o ataque a bomba ocorreu no meio da manhã deste domingo. Autoridades locais ainda não divulgaram o número de vítimas.

O grupo Boko Haram tem usado suicidas dirigindo carros carregados de bombas ou vestindo coletes com explosivos em dezenas de ataques mortais contra mercados e estações de ônibus movimentadas. Este seria o primeiro ataque fora da Nigéria.

A luta contra o Boko Haram tem assumido uma dimensão cada vez mais regional

nos últimos meses, com extremistas realizando ataques contra Camarões e Níger na última semana. Combatentes de países vizinhos estariam integrando o grupo terrorista, sediado na Nigéria. O Boko Haram recruta interessados com pagamentos, pela força e também com seu discurso ideológico.

No sábado, autoridades regionais e da União Africana reunidas em Iaundé, capital dos Camarões, revelaram a proposta de criação de uma força militar de até 8.750 membros para combater o Boko Haram, com soldados provenientes da Nigéria, Chade, Camarões, Níger e Benim. Autoridades disseram que eles defendiam a implantação deste grupo já no próximo mês, embora questões relacionadas ao financiamento podem atrasar esse cronograma. Fonte: Associated Press

Tudo o que sabemos sobre:
Boko HaramNígerataque suicida

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.