Ataque suicida atinge comboio sul-coreano no Iêmen

Um suicida atacou hoje um comboio que levava funcionários do governo sul-coreano enviados para o Iêmen para investigar um atentado a bomba, ocorrido domingo e que matou quatro turistas da Coreia do Sul. O ataque foi planejado especificamente para atingir os sul-coreanos, disseram funcionários do governo. Ninguém ficou ferido no atentado realizado nesta quarta-feira, disseram funcionários governamentais.

AE-AP, Agencia Estado

18 de março de 2009 | 14h34

O Ministério do Exterior da Coreia do Sul confirmou o ataque a bomba desta quarta-feira e informou também que o comboio levava parentes das vítimas do atentado de domingo. Eles estavam no país para recuperar os corpos dos que foram mortos, mas foram enviados para o aeroporto, para um voo de volta à Coreia do Sul, quando a bomba explodiu.

O Iêmen, um país pobre do sudoeste da Península Arábica, é a terra natal dos ancestrais de Osama bin Laden e é um conhecido centro de atividade militante. Um funcionário de segurança iemenita disse que o embaixador da Coreia do Sul no país também estava no comboio atingido hoje, mas em Seul, o Ministério do Exterior negou a informação.

O atacante caminhava pela estrada entre dois dos veículos e então explodiu-se quando o comboio se dirigia para o aeroporto, localizado fora da capital Sanaa, disse um funcionário iemenita. Ele falou em condição de anonimato. A explosão quebrou os vidros dos veículos. Autoridades iemenitas disseram que a Al-Qaeda está por trás do ataque suicida de domingo, ocorrido nas proximidades da cidade de muralhas de Shibam, e que 12 suspeitos foram detidos.

Depois do ataque, a Coreia do Sul instruiu suas missões diplomáticas no exterior a reforçar medidas de segurança e informou que irá estabelecer um corpo para consultar os países do Oriente Médio e outras nações predispostas a ataques para a troca de informações sobre terrorismo. O embaixador da Coreia do Sul já reuniu-se nesta quarta-feira com os ministros do Interior e de Relações Exteriores do Iêmen.

Alerta

A Embaixada dos Estados Unidos no Iêmen divulgou mensagem em seu site na internet afirmando que alertou os funcionários da representação diplomática a limitarem seus deslocamentos e advertiu cidadãos americanos no país que sejam cautelosos após o ataque.

Os esforços do governo iemenita para acabar com militantes da Al-Qaeda e de outros grupos militantes não surtiram efeito e esses grupos têm realizado vários ataques mortais contra turistas, diplomatas estrangeiros, a embaixada dos Estados Unidos, outros alvos ocidentais e instalações militares no país.

Tudo o que sabemos sobre:
violênciaIêmenataque

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.