Ataque suicida com bomba deixa 16 mortos na Argélia

Homem-bomba se detonou em meio a uma multidão que aguardava chegada do presidente; 74 feridos

Agência Estado e Associated Press,

06 de setembro de 2007 | 18h05

Um atacante suicida detonou explosivos que carregava no meio de uma multidão aguardando a chegada do presidente da Argélia numa pequena cidade do leste do país, matando 16 pessoas e ferindo pelo menos outras 74. O ataque ocorreu em frente da mesquita de Batna, 450 km a leste da capital, Argel, 45 minutos antes de o presidente Abdelaziz Bouteflika chegar ao local na última parada de um giro pela região. Segundo a polícia, um homem de 30 a 35 anos carregava os explosivos em uma sacola no meio da multidão. Observadores desconfiaram de seu comportamento e avisaram a polícia. Quando policiais se aproximaram, o homem jogou a sacola para trás e começou a fugir, quando ocorreu a explosão. Não ficou claro se o homem morreu ou ficou ferido no ataque. O presidente da Argélia fez um breve comentário ao chegar à cidade, destacando que "a única solução (para a violência) é um acordo nacional". Ele deve fazer uma declaração sobre o ataque num discurso na noite desta quinta, informou a tevê local. Ninguém assumiu imediatamente responsabilidade pelo atentado. Ataques terroristas coordenados mataram dezenas de pessoas em 11 de abril, quando caminhões-bomba conduzidos por atacantes suicidas destroçaram o escritório do primeiro-ministro e uma delegacia de polícia num subúrbio de Argel. Uma ala da Al-Qaeda no Norte da África assumiu responsabilidade por aquelas explosões. Uma insurgência islâmica de mais de 10 anos no país do norte da África já matou mais de 200.000 pessoas.

Tudo o que sabemos sobre:
Ataque SuicidaArgélia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.