Ataque suicida deixa 18 mortos em Bagdá

A explosão de um carro-bomba matou pelo menos 18 pessoas e feriu cerca de 50 na sede de uma fundação religiosa xiita em Bagdá nesta segunda-feira. O ataque ocorreu em meio a uma disputa entre religiosos sunitas e xiitas sobre um templo ao norte de Bagdá e a um longo impasse político por questões sectárias.

AE, Agência Estado

04 de junho de 2012 | 11h41

"Nós pedimos ao povo iraquiano e especialmente aos filhos de nossa religião que sepultem o conflito porque há um plano de lançar uma guerra civil entre o povo e entre as seitas iraquianas", disse Sami al-Massudi, diretor da instituição, à agência France Presse.

Segundo ele, a instituição xiita havia recebido ameaças nos últimos dias por causa da disputa do templo Al-Askari, um local xiita na cidade de Samarra, de maioria sunita, ao norte de Bagdá. A mesquita de domo dourado foi alvo de um ataque suicida em fevereiro de 2006.

O ataque desta segunda-feira ocorreu após uma série de atentados que mataram 17 pessoas em Bagdá, na semana passada. Dois policiais disseram que o carro cheio de explosivos estava parado num estacionamento perto do prédio da fundação. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
IraqueataqueBagdá

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.