Ataque suicida em hotel luxuoso mata dois no Afeganistão

Explosão é ouvida por toda Cabul; Taleban assume a autoria do atentado na frente do prédio presidencial

Reuters e Associated Press,

14 de janeiro de 2008 | 13h11

Um homem-bomba atacou um luxuoso hotel em Cabul, matando pelo menos dois guardas nesta segunda-feira, 14, segundo fontes da polícia local. A grande explosão ocorreu no hotel cinco estrelas Serena, freqüentado por estrangeiros e localizado na frente do palácio presidencial. Dois noruegueses foram feridos   Dois homens lançaram granadas de mão, matando dois guardas, e entraram no hotel, onde promoveram o atentado. A polícia ainda não confirma informações sobre mais vítimas. O policial Mohammad Arif afirmou que a explosão foi registrada dentro do Serena Hotel, onde acontecia um encontro promovido pela embaixada da Noruega.   Segundo a Reuters, o ministro de Relações Exteriores da Noruega estava no local no momento do atentado. Segundo uma emissora de televisão, Jonas Gahr Stoere teria saído ileso do ataque. Um fotógrafo de uma agência norueguesa afirmou que um jornalista de Oslo foi ferido na explosão. A chancelaria confirmou ainda que um funcionário foi gravemente ferido.   Uma fonte da segurança afirmou que os guardas chegaram a abrir fogo contra os terroristas. Zabiullah Mujahid, porta-voz Taleban, afirmou que quatro militantes atacaram o prédio - um suicida com bombas atadas ao corpo e três com granadas.   Militantes islâmicos ligados ao Taleban promoveram mais de 140 ataques suicidas em 2007 em campanha contra o governo afegão e as forças de segurança internacionais na região.

Tudo o que sabemos sobre:
Afeganistãoexplosão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.