Ataque suicida faz 15 mortos em Bagdá

Pelo menos 15 pessoas morreram nesta segunda-feira (28) e outras 35 ficaram feridas em um atentado suicida nas imediações do Ministério do Interior em Bagdá, informaram fontes policiais iraquianas. Segundo estas fontes, o atentado ocorreu às 10h30 (03h30 em Brasília) em uma das entradas da sede do Ministério, localizado no leste da capital.O ataque aconteceu quando se realizava na sede do Ministério uma reunião de vários responsáveis de segurança do país, convocados pelo ministro do Interior, Jawad Bulani, para analisar o aumento da violência no Iraque nos últimos dias.O atentado coincide com a visita nesta segunda-feira a Bagdá do ministro da Defesa britânico, Des Browne, que deve reunir-se com diferentes líderes iraquianos para discutir com eles sobre a atual situação do país.Pelo menos seis soldados americanosmorreram nas últimas 24 horas no Iraque em diferentes locais, informou o comando militar em dois comunicados. Quatro soldados morreram no domingo (27) quando o veículo no qual viajavam foiatingido pela explosão de uma bomba. O ataque ocorreu no norte de Bagdá. Outros dois soldados morreram também no domingo em diferentes ataques na capital iraquiana.Toque de recolherAs autoridades iraquianas decidiram impor o toque de recolher durante toda a segunda-feira em Diwaniya, capital da província xiita de Qadisye, 200 quilômetros ao sul de Bagdá, após os enfrentamentos registrados na cidade.Segundo fontes policiais, a detenção no sábado de um dirigente do Exército Mehdi, a milícia do clérigo rebelde xiita Moqtada al-Sadr, foi o estopim para o início de violentos combates entre milicianos xiitas e as Forças de Segurança iraquianas."Depois que as tentativas para libertá-lo fracassaram, membros do Exército de Mahdi atacaram com bombas uma base da guarda nacional na cidade", informaram as fontes.Após esse ataque, "e devido à escalada de violência, as tropas americanas na cidade intervieram, por isso os militantes da al-Sadr atacaram também um acampamento militar do Exército dos EUA na província".Segundo fontes do Governo provincial, todas as instituições, exceto os serviços de emergência, permanecerão fechadas enquanto durar o toque de recolher, que não tem um prazo determinado estabelecido.Violência no domingoUm dia de ataques matou pelo menos 47 pessoas no Iraque neste domingo, em diversos pontos do país.As explosões e ataques deixaram muitos feridos e aconteceram em mercados, perto de um hotel e nos arredores dos escritórios de um jornal.O primeiro-ministro iraquiano Nouri Maliki disse que os ataques estão em declínio e afirmou que o governo jamais permitiria uma guerra civil no país.O ataque mais violento ocorreu em Khallis, uma cidade de maioria xiita ao norte da capital Bagdá. Atiradores mataram 14 pessoas em um mercado, disparando em todas as direções contra as pessoas que estavam no local.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.