Ataque suicida mata 28 no sul do Afeganistão

Kandahar, Afeganistão - Um homem-bomba em um riquixá motorizado entrou ontem num mercado no sudeste do Afeganistão e detonou os explosivos que carregava, matando 28 pessoas, além dele próprio. Entre os mais de 60 feridos estão muitas crianças que vendiam doces e cigarros no local. O atentado ocorreu por volta das 18 horas no vilarejo de Gereshk, em Helmand, uma das províncias mais violentas do Afeganistão. O líder distrital Abdul Manaf Khan disse que 15 civis e 13 policiais foram mortos. Médicos de hospitais da região afirmaram que o número de mortos deve aumentar porque muitos feridos encontram-se em estado grave. Militantes da milícia islâmica Taleban já lançaram mais de cem ataques suicidas no Afeganistão desde o início do ano - um recorde desde que o grupo foi deposto do poder, em 2001. O Ministério da Defesa informou que esse foi o segundo pior atentado deste ano. Em junho, 35 pessoas morreram numa explosão em um ônibus policial em Cabul. O general Mohammad Zahir Azimi, porta-voz do Ministério da Defesa, disse que um policial que sobreviveu ao ataque no mercado era o alvo principal do suicida. O Taleban não confirmou a autoria do atentado. Um representante do grupo havia afirmado, no começo do dia, que consideraria uma negociação com o governo, desde que o presidente Hamid Karzai fizesse uma oferta direta - o que não ocorreu. O Afeganistão vem sofrendo uma escalada da violência este ano, especialmente no sul. Mais de 4.200 pessoas - na maioria insurgentes - já morreram em ataques e confrontos no país em 2007.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.