Ataque suicida mata ministro e nove pessoas no Sri Lanka

Atentado do grupo rebelde Tigres Tâmil na cidade de Weliveriya deixou outras 50 pessoas feridas

Reuters,

06 de abril de 2008 | 02h19

O ministro dos Transportes do Sri Lanka e ao menos outras nove pessoas morreram neste domingo, 6, em um suposto ataque suicida do grupo rebelde Tigres de Libertação da Pátria Tâmil (LTTE) em uma cidade próxima a Colombo.   "Ministro Jeyaraj Fernandopulle foi morto pela explosão", disse o diretor do centro nacional de segurança, o general Laksman Hulugalla.   O militar disse que 10 pessoas morreram e outras 50 ficaram feridas pela explosão na cidade Weliveriya, 30 km da capital, onde Fernandopulle era convidado de honra e daria a largada a uma tradicional maratona como parte da celebração do ano novo no Sri Lanka.   O ataque foi obra de um guerrilheiro dos Tigres de Libertação da Pátria Tâmil (LTTE) que estava infiltrado entre os participantes da maratona e detonou a carga explosiva que carregava em seu corpo, acrescentaram as fontes policiais.   Entre os mortos está o treinador nacional de atletismo Lakshaman De Alwis, e o atleta Karunaratne, que representou o Sri Lanka nas provas de ciclismo dos Jogos Olímpicos de Barcelona, em 1992.   Além disso, segundo o Ministério, cerca de 50 pessoas, incluindo o superintendente de Polícia Hector Darmasiri, ficaram feridas e foram transferidas ao Hospital Geral de Gampaha.   Fernandopulle, 55 anos, é o segundo ministro assassinado desde janeiro quando o ministro D.M. Dassanayake, foi morto em um atentado no mesmo distrito, Gampaha.   O ministro de Relações Exteriores Lakshman Kadirgamar foi o mais importante líder do governo morto nos últimos anos. Ele foi assassinado em sua casa em Colombo por um rebelde do grupo LTTE em agosto de 2005.   Após anular em janeiro os acordos de cessar-fogo vigentes desde 2002, o Governo empreendeu uma ofensiva no norte do Sri Lanka para conquistar o território em poder da guerrilha dos LTTE, que reivindica a independência para as áreas do norte e leste, onde os tâmeis são maioria.   Mais de 65.000 pessoas morreram em 25 anos de conflito no Sri Lank, onde centenas de milhares de pessoas se encontram deslocadas.   Matéria atualizada às 5h30

Tudo o que sabemos sobre:
atentadoataque suicidaSri Lanka

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.