Mohmmad Shoib/Reuters
Mohmmad Shoib/Reuters

Ataque suicida mata pelo menos 11 e deixa 22 feridos no Afeganistão

Terrorista conduzia veículo de tração 4 x 4 e agiu em frente a escritórios do governo de Guzara

Efe,

10 de abril de 2012 | 03h25

CABUL - Pelo menos 11 pessoas morreram e 22 ficaram feridas nesta terça-feira, 10, em um ataque suicida registrado nas proximidades de um centro administrativo da província afegã de Herat, no oeste do país, informou uma fonte oficial.

O terrorista conduzia um veículo de tração 4 x 4 e detonou os explosivos que levava consigo diante dos escritórios do governo do Distrito de Guzara, disse à Agência Efe o governador provincial, Dawoud Sabah.

 

Os mortos são oito civis e três policiais, e entre os feridos há mulheres e crianças, indicou o ministério, ao precisar que o terrorista suicida detonou sua carga explosiva às portas do local, uma vez que a polícia impediu a sua entrada.

 

"Os feridos foram levados rapidamente ao hospital do distrito e alguns se encontram em estado crítico", acrescentou. Os nove falecidos são, segundo Sabah, três policiais e seis civis, embora o chefe da brigada de investigação de Herat, Muhammad Zaher, tenha assegurado à agência afegã "AIP" que são dez as vítimas fatais da explosão, enquanto há mais de 30 feridos.

 

De acordo com fontes citadas por diferentes veículos da imprensa, a polícia negou a entrada do veículo no local, pelo que o terrorista o detonou na porta. Uma testemunha relatou à agência afegã "Pajhwok" que vários corpos ficaram estendidos no local, enquanto as forças de segurança se esforçavam para transferir os feridos ao hospital.

 

O ataque foi reivindicado por um porta-voz talibã, Mohammad Yousef Ahmadi, que, em declarações à Efe, lamentou a morte de civis. "Um devoto mujahid queria atacar a sede do distrito, mas infelizmente foi detido pela Polícia local, portanto não teve outra opção que a de detonar o carro explosivo e matar civis", afirmou o porta-voz.

 

"Não é culpa dos talibãs, mas da Polícia, que deteve o veículo antes de alcançar seu alvo", acrescentou. Os talibãs costumam recorrer a ataques suicidas contra instalações do Governo como parte de sua estratégia para implantar um regime fundamentalista islâmico e conseguir a saída imediata das tropas desdobradas no país.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.