Ataque suicida mata pelo menos 17 pessoas no Afeganistão

Governador da província de Zaranj afirma que 35 foram feridos no maior atentado promovido no país neste mês

Reuters,

17 de abril de 2008 | 14h33

Pelo menos 17 pessoas, incluindo dois policiais, foram mortos nesta quinta-feira, 17, durante um ataque suicida em um comércio no sudoeste do Afeganistão. Segundo o governador da província de Nimroz, Ghula Dastagir Azad, o ataque aconteceu na capital Zaranj, e pelo menos 35 pessoas foram feridas no ataque.   O governador disse ainda que duas crianças estão entre as vítimas do ataque, mais um depois da tradicional pausa nos enfrentamentos ocorrida devido aos rigores do inverno, quando a violência voltou a intensificar-se nas últimas semanas, naquele país. Azad disse ainda que o atentado, o mais sangrento neste mês no país, foi promovido por "inimigos do Afeganistão", expressão usada para descrever insurgentes do Taleban e aliados da Al-Qaeda.   Nesta terça, autoridades afirmaram que forças afegãs e estrangeiras mataram dezenas de insurgentes do Taleban m vários combates ocorridos no Afeganistão, afirmaram autoridades. No total, 20 militantes foram mortos em uma operação conjunta realizada por forças afegãs e da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), na Província de Zabul (sul), afirmou uma autoridade policial da Província, Faridullah Khogiani.   Na vizinha Província de Ghazni, dez insurgentes morreram depois de uma tentativa malsucedida de emboscada contra um comboio no qual estavam soldados afegãos e norte-americanos, disse uma autoridade dessa região. Em um outro confronto, ocorrido na mesma Província, o Exército Nacional Afegão matou mais três guerrilheiros do Taleban, afirmou o Ministério da Defesa em um comunicado.   Não houve baixas entre as forças afegãs ou estrangeiras em qualquer um dos embates, disseram autoridades do Afeganistão. Não foi possível entrar em contato com um representante do Taliban para manifestar-se sobre o assunto.   Também na quinta-feira, ao menos dois soldados da Otan ficaram feridos e um tanque, destruído quando uma bomba acionada por controle remoto explodiu na cidade de Spin Boldak, Província de Kandahar, perto do Paquistão, disse à Reuters Abul Raziq Khan, chefe da polícia de fronteira. Khan não divulgou a nacionalidade dos soldados feridos, mas a maior parte dos militares estrangeiros presentes em Kandahar vieram do Canadá.   Tirado do poder em 2001, o movimento islâmico lidera uma insurgência contra o atual governo afegão e seus aliados estrangeiros. O grupo militante Taleban, ligado à Al-Qaeda, prometeu depor o governo ligado ao Ocidente e expulsar do Afeganistão as forças estrangeiras comandadas pelos EUA e pela Otan. A onda de violência verificada nos últimos dois anos matou mais de 11 mil pessoas, fazendo desse o período mais sangrento do país desde a deposição do Taleban. Os combates e atentados continuam acontecendo apesar da presença, no Afeganistão, de mais de 55 mil soldados estrangeiros e de 140 mil membros de forças de segurança nacionais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.