Ataque teria matado líder do grupo Khorasan

Funcionários americanos disseram ontem acreditar que o líder do grupo Khorasan, Mohsin al-Fadhli, foi morto em um bombardeio da coalizão liderada pelos EUA no sábado na Síria. O assessor de Segurança Nacional da Casa Branca, Tony Blinken, declarou que não podia confirmar a informação e o Pentágono disse que ainda está investigando.

O Estado de S.Paulo

29 de setembro de 2014 | 02h01

Em um tuíte publicado no sábado, um jihadista não identificado ofereceu condolências pela morte de Fadhli, informou a organização americana SITE, que monitora postagens na internet de grupos extremistas.

Outros militantes islâmicos também postaram mensagens na internet comentando a informação não confirmada sobre a morte do líder do Khorasan.

Funcionários americanos descrevem o Khorasan como uma célula da Al-Qaeda com combatentes treinados nos campos do grupo terrorista no Afeganistão e no Paquistão, que agora combate com a Frente al-Nusra na Síria.

Em 2012, o Departamento de Estado dos EUA ofereceu uma recompensa de US$ 7 milhões por informações que levassem a Fadhli, dizendo que ele era um financiador da Al-Qaeda e teve estreitas ligações com o fundador do grupo, Osama bin Laden, morto em uma operação dos EUA em 2011 no Paquistão. Fadhli, um kuwaitiano de 33 anos, também conhecido como Abu Asmaa al-Kuwati ou Abu Asmaa al-Jazrawi, seria um dos poucos a saber dos planos para os ataques do 11 de Setembro. /REUTERS

Mais conteúdo sobre:
Síria

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.