Ataques a bomba deixam pelo menos 36 mortos no Paquistão

Clérigo defensor do governo seria alvo de um dos ataques; número de mortes pode aumentar

Reuters

23 de agosto de 2010 | 08h38

ISLAMABAD - Ao menos 36 pessoas morreram no noroeste do Paquistão em três ataques a bomba realizados nesta segunda-feira, 23, informaram as autoridades locais. Dois atentados ocorreram em regiões tribais perto da fronteira com o Afeganistão, e o outro ocorreu perto de Peshawar.

 

Uma explosão dentro de uma mesquita no Paquistão próximo à fronteira com o Afeganistão matou ao menos 26 pessoas e feriu outras 40 nesta segunda-feira, segundo autoridades de inteligência do país. O ataque ocorreu na região tribal de Waziristão do Sul.

 

Insurgentes do Taleban já realizaram explosões semelhantes, mas diminuíram os ataques durante a crise de inundações no Paquistão, que tem sobrecarregado o governo.

 

"Aparentemente foi um ataque suicida e Maulana Noor Mohammad era o alvo", disse uma autoridade de inteligência em Wana, referindo-se a um clérigo defensor do governo. Segundo o canal local Geo, Mohammad teria morrido no atentado.

 

O ataque próximo a Peshawar matou um líder de uma milícia anti-Taleban, Israr Khan, e dois assessores enquanto eles passavam por uma mercado em Matni. Segundo a polícia, outras três pessoas ficaram feridas neste episódio.

 

Mais cedo, uma bomba explodiu dentro de uma escola durante uma reunião de líderes tribais em Kurram, deixando sete mortos. Segundo as autoridades locais, os líderes estavam discutindo a propriedade do prédio a escola. Não ficou claro se o atentado estava ligado à reunião ou se foi perpetrado por insurgentes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.