Ataques a bomba matam 7 em mercados na Índia

Duas bombas atingiram mercados lotados no nordeste da Índia, matando pelo menos sete pessoas e ferindo outras 60. Em outro incidente, uma granada feriu dois policiais, segundo a polícia. As explosões ocorrem um dia antes de uma programada visita do primeiro-ministro Manmohan Singh à região. Singh faz campanha para as eleições nacionais, que começam ainda neste mês. Autoridades suspeitam que a separatista Frente de Liberação Nacional de Asom esteja por trás do ataque. Menos de uma semana atrás ocorreu um mortífero ataque em Gauhati, a capital do Estado de Assam.

AE-AP, Agencia Estado

06 de abril de 2009 | 12h51

"Esse é um ataque coordenado", disse G. M. Srivastava, principal autoridade policial do Estado. As explosões ocorreram às vésperas do aniversário de 30 anos do grupo militante, vinculado a muitos atos de terrorismo em Assam. O grupo frequentemente realiza ataques nesta época do ano. A primeira bomba estava presa em uma motocicleta e explodiu em um mercado lotado em Gauhati, matando sete pessoas e ferindo pelo menos 56, segundo Srivastava. A explosão deixou vários carros incendiados. Uma porta-voz do primeiro-ministro disse que a viagem não havia sido cancelada.

A Frente de Liberação Nacional de Asom quer um Estado independente para os assameses e é o maior entre dezenas de grupos militantes atuando na região. Os separatistas acusam o governo de explorar os recursos naturais da área, fazendo pouco pelos indígenas, a maioria dos quais mais próximos etnicamente de Mianmar e da China que do restante da Índia. Mais de 10 mil pessoas morreram na violência separatista ao longo da última década. A explosão do dia 31 de março em Gauhati deixou um morto e 13 feridos.

Tudo o que sabemos sobre:
Índiaviolênciaatentado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.