Ataques a bomba matam ao menos 27 em Bagdá

Governo tem agido de forma mais agressiva para proteger Bagdá, após tomada de Mosul

Agência Estado

19 de julho de 2014 | 11h09

Uma série de bombardeios, incluindo três em menos de 10 minutos, mataram pelo menos 27 pessoas em Bagdá neste sábado, abalando o frágil sentimento de segurança que a capital transmitia, apesar da ofensiva sunita no norte e oeste do Iraque.

Os ataques estão entre os mais graves em Bagdá desde que os insurgentes liderados pelo grupo islâmico extremista capturaram no mês passado Mosul, a segunda maior cidade do país, no início da ofensiva em todo o Iraque.

Desde a tomada de Mosul, o governo tem agido de forma mais agressiva para proteger Bagdá em meio a temores de que a capital também seria capturada. Os ataques mais violentos deste sábado ocorreram na área xiita de Abu

Dashir, onde um atacante suicida bateu um carro carregado com explosivos em um posto de controle, matando pelo menos nove pessoas e ferindo mais 19, informaram as autoridades. Quatro policiais estão entre as vítimas, de acordo com as fontes.

Mais tarde, três carros-bomba em diferentes bairros de Badgá explodiram em menos de 10 minutos, atingindo os distritos de Baiyaa, Jihad e Khazimiyah. Os atentados deixaram ao menos 15 mortos e 42 feridos, revelou a polícia.

Ainda no sábado, outro carro-bomba detonado perto de um ponto de ônibus em Khazimiyah matou três pessoas e feriu 15, acrescentou. Autoridades médicas em Bagdá confirmaram as casualidades. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
IRAQUEATAQUES A BOMBABAGDÁ

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.