Ataques a jornais matam 8 na Nigéria

Pelo menos oito pessoas morreram - entre elas um militante suicida - no fim da manhã de ontem na Nigéria, em atentados a bomba contra escritórios do jornal This Day na capital do país, Abuja, e na cidade de Kaduna, onde uma terceira explosão deixou apenas feridos, horas depois dos dois primeiros atentados.

ABUJA, O Estado de S.Paulo

27 de abril de 2012 | 03h07

Com sede no sul nigeriano, o diário atacado é considerado um veículo influente no país e apoia o governo do presidente Goodluck Jonathan, o principal alvo do movimento insurgente islâmico Boko Haram - que assumiu a autoria dos ataques de ontem e já matou centenas de pessoas este ano. Em um comunicado, a milícia afirmou que continuará a atacar a imprensa, em razão do que qualificou como "uma cobertura imprecisa".

Em Kaduna, além da sucursal local do This Day, o edifício atacado abriga ainda as redações dos jornais The Moment e The Daily Sun. Por volta das 11 horas, um carro que tentava entrar no prédio foi cercado e, segundo Jemilu Abdullahi, que testemunhou a ação, o motorista começou a gritar que havia uma bomba no veículo. De acordo com o relato, o homem foi autorizado a sair do automóvel e abrir o porta-malas. Ele então arremessou uma bomba, que explodiu. Pelo menos 4 pessoas morreram, segundo Nwakpa Nwakpa, da Cruz Vermelha nigeriana, e 26 se feriram.

O funcionário da entidade internacional afirmou que, em Abuja, um suicida arrombou com um carro os portões do prédio do This Day e detonou os explosivos que carregava perto da recepção. Além do terrorista, ao menos três pessoas morreram.

Em 2002, dezenas de pessoas morreram em Kaduna em protestos ocorridos após o This Day publicar um texto que sugeria que o Profeta Maomé deveria ter se casado com uma competidora do Miss Mundo mirim. / AP e REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.