AFP PHOTO / Omar haj kadour
AFP PHOTO / Omar haj kadour

Ataques aéreos deixam ao menos 15 mortos e 100 feridos em Alepo

Rebeldes iniciaram ofensiva em áreas sob controle de Bashar Assad para tentar romper cerco imposto pelo governo com apoio dos russos

O Estado de S. Paulo

28 de outubro de 2016 | 12h16

DAMASCO - Rebeldes da Síria iniciaram um contra-ataque em Alepo nesta sexta-feira, 28, com um bombardeio intenso em áreas sob controle do governo depois de uma ofensiva de semanas das forças sírias, com apoio da Rússia, a bairros sitiados dominados por insurgentes.

Pelo menos 15 pessoas morreram e outras 100 ficaram feridas não regiões de Alepo controladas pelas forças do governo de Bashar Assad, segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos. A ONG disse que centenas de projéteis caíram nos bairros de Al Hamdaniya, Al Meridian, Al Furqan, Al Azima, Al Yamilia, Al Mashriqa e Al Fid, entre outros. Por enquanto, os veículos de imprensa oficiais sírios não confirmam estes dados.

O disparo dos projéteis coincidiu com um ataque realizado por grupos islâmicos e rebeldes em áreas do sudoeste de Alepo. O ataque começou com a explosão de três carros-bomba na região de Dahie al Assad, dominada pelas forças do regime.

Um dos veículos era dirigido por um suicida francês de origem africana pertencente à Frente da Conquista do Levante (antiga filial síria da Al-Qaeda). As explosões foram seguidas por combates entre o Exército sírio - com o apoio de milícias aliadas - e a antiga Frente al-Nusra e outros grupos nos bairros de Al Rashidin e Yamiat al Zahrah, assim como em outras partes do sudoeste e oeste de Alepo.

Uma fonte militar da Síria relatou que um ataque insurgente no extremo oeste de Alepo foi frustrado, e uma rede de televisão estatal noticiou que o Exército destruiu quatro carros-bomba.

Os rebeldes almejam romper um cerco que o governo e milícias aliadas impuseram durante o verão local com apoio da Força Aérea russa. Os bairros do leste da cidade, de posse dos rebeldes, vêm sendo sujeitados a uma campanha aérea feroz desde que o Exército declarou uma ofensiva para capturar a área no mês passado.

"Há um chamado geral para qualquer um que consiga usar armas", disse uma autoridade de alto escalão do grupo rebelde Frente da Conquista do Levante, que luta sob a bandeira do Exército Livre da Síria. "O bombardeio preparatório começou nesta manhã", acrescentou.

Paralelamente, a artilharia do regime de Bashar Assad fez disparos nos bairros de Tariq al Bab, Al Sakhur e Masaken Hanano, no leste de Alepo, sitiado pelas forças armadas e em poder da oposição. 

As hostilidades se intensificaram em Alepo desde o último fim de semana, após o fim de uma pausa humanitária de quatro dias, declarada pela Rússia e o governo de Damasco. / EFE e REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.