Ataques aéreos não serão suficientes, diz Tony Blair

Ataques aéreos não serão suficientes, diz Tony Blair

Em um texto publicado em seu site, o Faith Foundation, Blair disse que seria melhor se o combate por terra partisse daqueles mais próximos ao conflito

Estadão Conteúdo

22 de setembro de 2014 | 16h13

As forças ocidentais devem estar preparadas para enviarem soldados que combatam militantes do grupo Estado Islâmico por terra, porque apenas os ataques aéreos não vão derrotar esses extremistas "fanáticos", afirmou o ex-primeiro ministro britânico Tony Blair nesta segunda-feira.

Em um texto publicado em seu site, o Faith Foundation, Blair disse que seria melhor se o combate por terra partisse daqueles mais próximos ao conflito, como as forças iraquianas ou curdas, mas que isso pode não ser suficiente.

"Existem evidências reais de que, agora, os países no Oriente Médio estão preparados para lidarem com a responsabilidade e eu aceito completamente que não haja vontade de engajamento terrestre por conta do Ocidente", afirmou o ex-premiê. "Mas nós não devemos descartar essa possibilidade no futuro, se for absolutamente necessária."

Os Estados Unidos e a França lançaram ataques aéreos no Iraque na esperança de enfraquecer os extremistas. Para Blair, cujos últimos anos no gabinete foram marcados pela participação na guerra do Iraque, a diplomacia e o trabalho humanitário não serão suficientes para combater grupos como o Estado Islâmico.

"Porque o inimigo contra o qual lutamos é fanático, porque eles estão preparados para matar e morrer, não há solução que não envolva a força aplicada com a disposição para aceitar casualidades na execução do combate até o fim", ele escreveu. Fonte: Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.