Ataques contra o Google tiveram origem em escolas na China

Contas de email do servidor de buscas haviam sido invadidas; outras empresas também foram atacadas

Efe,

19 de fevereiro de 2010 | 08h36

Vários investigadores, incluindo especialistas dos serviços de espionagem eletrônica dos EUA, confirmaram que os últimos ataques contra o Google tiveram origem em uma universidade e uma escola de formação profissional da China, segundo reportagem publicada nesta sexta-feira, 19, no jornal americano The New York Times.

 

Os investigadores, que tiveram seus nomes preservados pelo jornal, indicaram que os ataques procedem da universidade de elite Xangai Jiaotong e da escola de formação profissional de Lanxiang.

 

Os especialistas não podem determinar, porém, se o governo chinês tem relação com as sabotagens, já que é possível que haja manipulação dos computadores das instituições, inclusive de fora da China.

 

O Google denunciou, no último dia 12 de janeiro, que suas operações tinham sido alvo de ciberataques, provavelmente procedentes da China, com o objetivo de acessar as caixas de e-mails de dissidentes chineses, além de roubar códigos e segredos comerciais da empresa.

 

Além do Google, cerca de vinte outras empresas foram afetadas pela onda de ciberataques, que os investigadores acreditam ter começado em abril do ano passado.

Tudo o que sabemos sobre:
GoogleChinainternetciberataque

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.