Ataques contra xiitas matam 39 pessoas no Iraque

Ataques com explosivos lançados contra muçulmanos xiitas na região ao sul de Bagdá mataram 39 pessoas e feriram mais de 100 nesta quinta-feira, de acordo com autoridades médicas e forças de segurança. Na cidade de Hilla, explodiram dois dispositivos em uma estrada, considerada como rota de peregrinação pelos xiitas, deixando 27 mortos, incluindo duas mulheres e três crianças, além de mais de 90 feridos.

AE, Agência Estado

29 de novembro de 2012 | 10h15

As forças de segurança iraquianas isolaram a área das explosões e montaram bases na cidade para vasculhar carros, de acordo com um correspondente da agência AFP, que informou também que as lojas próximas ao local foram fechadas após o ataque.

Ainda nesta quinta-feira, um ataque suicida contra uma base da polícia na cidade de Fallujah, 65 quilômetros a oeste da capital Badgá, mataram três policiais e feriram outros 11, segundo autoridades. E na cidade de Mosul, um carro-bomba estacionado explodiu ao lado de um veículo de patrulha da polícia, matando duas pessoas e ferindo outras duas, segundo a polícia.

Outro carro da polícia foi atingido por uma bomba na cidade de Balad Ruz, a 70 quilômetros do nordeste de Bagdá, matando um agente e ferindo outras seis.

Na cidade de Kerbala, sagrada para os xiitas, um carro-bomba explodiu sob uma ponte, matando seis pessoas e ferindo outras 20, disseram um porta-voz da polícia e um oficial médico.

O porta-voz apontou que as forças de segurança fecharam todas as estradas que levam à cidade, onde Imam Hussein, uma das figuras mais reverenciadas no Islã xiita, está enterrado. Os iraquianos também estão à procura de um segundo carro-bomba.

As informações são da Dow Jones e da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
IRAQUEVIOLÊNCIA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.