Ataques da Otan deixam ao menos 11 mortos no oeste da Líbia

Agência oficial líbia afirma que coalizão realizou outros ataques no país 'com perdas humanas e materiais'

Efe

30 de maio de 2011 | 10h52

ARGEL - Pelo menos 11 pessoas morreram nesta segunda-feira, 30, em ataques da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) contra "zonas civis e militares" na cidade de Zliten, a cerca de 150 quilômetros ao leste de Trípoli, segundo a agência oficial líbia "Jana".

 

Veja também:

especialLinha do Tempo: 40 anos da ditadura na Líbia

especialInfográfico: A revolta que abalou o Oriente Médio

especialEspecial: Os quatro atos da crise na Líbia

 

 

 

A agência, que cita uma fonte militar, assegurou que os ataques da Otan em Zliten, na região de Wadi Kaam, também deixaram vários feridos, mas não precisou o número.

 

 

Zliten se encontra entre a capital líbia e a cidade de Misrata, em poder dos rebeldes e assediada há três meses pelas tropas de Muammar Kadafi.

 

A "Jana" informou ainda que os ataques da Otan se centraram nesta segunda-feira também na cidade de Al Kufrah, a cerca de 600 quilômetros ao sudeste da capital líbia.

 

Essa última região também tinha sido alvo de bombardeios da Otan na noite de domingo, informou a "Jana".

 

A agência revelou ainda que aviões da Otan realizaram no domingo outros ataques na cidade de Nalut, na região ocidental de Tiji, provocando "perdas humanas e materiais".

 

Nalut, perto da fronteira com a Tunísia, é um estratégico reduto rebelde.

 

Os rebeldes líbios, que controlam grande parte do leste do país, continuam lutando em várias regiões do oeste, em sua maioria em poder das forças do regime.

 

Misrata, a terceira maior cidade do país, e algumas cidades nas montanhas ao sul de Trípoli, são os principais redutos insurgentes na região ocidental da Líbia.

Tudo o que sabemos sobre:
LíbiaataqueOtanKadafiTrípolimortos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.