Ataques de aviões americanos deixam 25 mortos em área tribal paquistanesa

Primeiro ataque ocorreu na zona de Kung Ghalai, onde um avião americano lançou mísseis contra uma caminhonete. Poucas horas depois, outro avião atacou a zona de Mandoi contra um suposto esconderijo do líder insurgente Adam Khan

Efe,

28 de junho de 2011 | 05h22

ISLAMABAD - Pelo menos 25 pessoas morreram na segunda-feira, 27, em dois ataques com mísseis perpetrados por aviões não tripulados dos Estados Unidos contra um reduto jihadista na zona tribal ocidental paquistanesa do Waziristão do Sul, informou a imprensa local.

 

A emissora Express Tv assegurou nesta terça-feira, 28, que os mortos são 25, enquanto a Geo TV calcula 27 vítimas.

 

O primeiro ataque ocorreu na zona de Kung Ghalai, a dois quilômetros da fronteira afegã, onde um avião americano lançou quatro mísseis contra uma caminhonete e matou 12 pessoas, segundo fontes citadas pela Express.

 

Poucas horas depois, outro avião lançou quatro mísseis na zona de Mandoi contra um suposto esconderijo do líder insurgente Adam Khan, colaborador do líder da organização fundamentalista Tehrik-e-Talibã do Paquistão (TTP), Hakimullah Mehsud.

 

Segundo a Express, algumas fontes disseram que Mehsud havia sido localizado na região, mas por enquanto se desconhece se estava presente no local desse segundo ataque, que causou a morte de 13 pessoas.

 

Os EUA levam a cabo uma intensa campanha de ataques contra alvos insurgentes nas áreas tribais paquistanesas, especialmente no bastião talibã do Waziristão do Norte e na demarcação vizinha do Waziristão do Sul.

 

No ano passado, houve 118 ataques, enquanto em 2011 já são quase 40, o que representa uma leve queda, devido em grande parte à desconfiança crescente entre Paquistão e EUA.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.