Ataques de drones dos EUA no Paquistão deixam ao menos 8 militantes mortos

Mísseis disparados por drones dos Estados Unidos atingiram pontos de encontro de militantes e um suposto local de treinamento no noroeste do Paquistão em dois ataques separados nesta terça-feira, matando ao menos 8 pessoas, disseram autoridades do setor de inteligência.

SAUD MEHSUD, REUTERS

07 de outubro de 2014 | 13h31

No primeiro ataque, três mísseis lançados por uma aeronave não tripulada atingiram um local considerado um campo de treinamento na área de Shawal, no Waziristão Norte, pouco depois do meio-dia, disseram duas fontes de inteligência paquistanesas à Reuters. Seis militantes suspeitos foram mortos e nove ficaram feridos, disseram as fontes.

No segundo ataque, mísseis atingiram um ponto de concentração de militantes em uma montanha na região de Datta Khel, também no Waziristão Norte, matando duas pessoas e ferindo ao menos quatro, na terça à noite, disseram fontes de inteligência paquistanesas.

Os números de mortos em ataques de drones são normalmente contestados, uma vez que a área fica além dos limites alcançados por jornalistas independentes e observadores. O Taliban ainda normalmente isola as áreas atacadas.

O governo do Paquistão costuma protestar publicamente contra os ataques de drones dos EUA, que são considerados infrações à soberania nacional, em especial devido às mortes de civis.

(Reportagem adicional de Haji Mujtaba, em Bannu, e Katharine Houreld, em Islamabad)

Tudo o que sabemos sobre:
PAQUISTAOEUADRONESATAQUES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.