Ataques de Israel contra o Líbano prosseguem intensos

Forças israelenses voltaram a bombardear o Líbano nas primeiras horas deste sábado (horário local), com ataques na capital, Beirute, e supostas posições do Hezbollah, em Tiro, no sul do país.Foram ouvidas explosões nos subúrbios do sul de Beirute. Na cidade de Nabatiyeh, um pessoa morreu e várias ficaram feridas. A localidade de Tiro foi palco de duros e violentos combates entre o Exército israelense e milicianos do grupo xiita Hezbollah, que conseguiram evitar a entrada de comandos na antiga capital fenícia, no sul do Líbano. Segundo fontes da polícia local, dois helicópteros israelenses aterrissaram durante a noite numa área agrícola próxima a Tiro. Os soldados desembarcaram e tentaram de tomar posições na cidade, que foi defendida pelos guerrilheiros.Os combates também envolveram as forças de segurança libanesas, que usaram baterias antiaéreas para repelir o ataque de um helicóptero israelense, acrescentaram as mesmas fontes. Outro alvo dos ataques israelenses foi o campo de refugiados palestinos de Rashidiyeh, nos arredores de Tiro. Segundo a Polícia libanesa, várias pessoas ficaram feridas.A rede de televisão libanesa LBC informou que pelo menos uma pessoa foi morta e váriasficaram feridas num ataque da aviação israelense à cidade de Nabatiyeh, no sul do Líbano. Nabatiyeh é um dos principais redutos do Hezbollah no sul do Líbano e, assim como Tiro, uma das cidades mais castigadas pelos bombardeios israelenses.DiplomaciaEnquanto prossegue a violência no Oriente Médio, em Nova York, na sede da Organização das Nações Unidas, diplomatas negociam o texto final de uma resolução que pode trazer um cessar-fogo à região.O embaixador dos Estados Unidos na ONU, John Bolton, disse que as conversações com seu colega francês resultaram em uma "aproximação" em suas posições. O primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, disse que não haverá cessar-fogo até que a força multinacional chegue ao sul do Líbano. "Nós esperamos ter uma resolução no começo da semana que vem", disse o porta-voz do Departamento de Estado americano, Tom Casey.Israel iniciou uma ofensiva contra o Líbano há três semanas, depois que militantes do Hezbollah capturaram dois soldados israelenses. Autoridades libanesas dizem que mais de 900 pessoas já morreram no país desde o começo da ofensiva, no dia 12 de julho. No lado israelense, o governo afirma que morreram 29 civis e 40 soldados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.