Ataques de Israel nesta terça deixam 17 mortos no Líbano

Caças israelenses atacaram uma base do exército libanês nos arredores de Beirute, em novos bombardeios nesta terça. A ação deixou pelo menos 17 mortos. Ao mesmo tempo, o grupo xiita Hezbollah disparou mais mísseis contra o norte de Israel, matando um israelense. A troca de ofensivas deixa as conversações diplomáticas para o fim do conflito nebulosas.O total de mortos dos conflitos dos últimos sete dias subiu para, pelo menos, 227 libaneses e 25 israelenses.O premier de israelense, Ehud Olmert, disse a uma delegação da ONU que visitava o país que "Israel continuará combatendo o Hezbollah e continuará a bombardear alvos do grupo" até que os soldados capturados sejam libertados e a segurança da população israelense retorne à normalidade. O líder do exército israelense no norte, o major-general Udi Adam, disse que é provável que a campanha contra o Hezbollah "continue por mais algumas semanas".Terça-feiraNo mais fatal ataque israelense desta terça-feira, 11 soldados de uma unidade de engenharia do exército libanês foram mortos e 35 ficaram feridos quando sua base, em Kfar Chima, sul de Beirute, sofreu um impacto direto do bombardeio israelense no final da tarde, informou o exército libanês. A base fica em uma área montanhosa, adjacente às fortificações do Hezbollah no sul de Beirute, que tem sido alvo constante dos caças israelenses nos últimos dias.O ministro da Defesa do Líbano, Elias Murr, qualificou o ataque como um "massacre", dizendo que o objetivo do regimento atingido era apenas ajudar a reconstruir prédios de infra-estrutura danificados. Ele também admitiu que a força militar de Israel é muito superior à libanesa. "Esta é uma batalha desigual que tem sido governada pelo ar", afirmou o ministro.Segundo testemunhas, pelo menos outras cinco pessoas foram mortas durante um ataque ao vilarejo de Aitaroun, próximo à fronteira de Israel. Já o Hezbollah informou que na realidade nove foram mortos, todos da mesma família. O canal de televisão da milícia mostrou corpos enrolados em lençóis sendo retirados do local do ataque, incluindo uma criança.Caças israelenses também atacaram quatro caminhões - em uma aparente nova tática de destruir veículos que são suspeitos de carregarem mísseis do Hezbollah. Um jordaniano foi morto durante o ataque.Ataques também atingiram as regiões muçulmanas xiitas, territórios principais do Hezbollah e seus simpatizantes - no sul do Líbano, na cidade de Baalbek e nos arredores ao sul de Beirute. Na cidade costeira de Tiro, mísseis atingiram uma área a 50 metros de um hospital, que não foi danificado.HezbollahO grupo militante disparou mísseis que destruíram um sobrado de três andares no norte de Israel, deixando uma vítima fatal e ferindo outros. O ataque ocorreu na cidade de Nahariya, informaram autoridades israelenses.Mísseis também atingiram Haifa, a terceira maior cidade de Israel, pelo terceiro dia seguido, destruindo áreas próximas ao porto e às linhas de trem. Não foi reportada nenhuma morte. Na mesma cidade, oito pessoas foram mortas no domingo.AcordoO ministro israelense do Gabinete Presidencial Avi Dichter informou, nesta terça, que Israel pode considerar uma troca de prisioneiros com o Líbano para conseguir liberar os dois soldados capturados pelo Hezbollah. Contudo, isso acontecerá somente após a operação militar ter acabado.O governo iraniano, simpatizante do Hezbollah, disse que um cessar-fogo em troca dos prisioneiros seria aceitável e justo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.