Ataques de separatistas causam 15 mortes na Índia

Pelo menos 15 pessoas morreram na noite de sexta-feira na região de Assam, no nordeste da Índia, por causa de trocasde tiros iniciadas por supostos membros do movimento independentista Frente para a Libertação de Assam (Ulfa), informaram fontes policiais.Sete pessoas morreram em dois ataques no distrito de Dibrugarh, no leste de Assam. Militantes armados com rifles AK-47 abriram fogo contra empregados de duas fábricas de tijolos.Além disso, outras oito pessoas morreram em três tiroteios no distrito de Tinsukia, segundo fontes policiais citadas no site do jornal The Indian Express."Primeiro os militantes tentaram explodir uma bomba em Doomdona. A tentativa fracassou e eles abriram fogo em áreas remotas", disse ao jornal o subcomissário A.K. Absar Hazarika.A emissora de televisão NDTV afirmou que as autoridades reforçaram a segurança em todo o estado. O Exército lançou uma operação para localizar os agressores. A maioria das vítimas era de outras regiões da Índia, segundo as autoridades.O grupo separatista Ulfa defendeu recentemente a "expulsão" das comunidades procedentes de fora de Assam, alegando que elas estabeleceram suas própria "mini-regiões" dentro do estado.Segundo uma enquete recente, 95% dos habitantes de nove distritos de Assam rejeitam a reivindicação de soberania para o estado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.