Ataques de tropas sírias deixam dezenas de mortos

Tropas sírias atacaram uma área rebelde em Damasco nesta sexta-feira, causando dezenas de mortes numa semana particularmente sangrenta em todo o país, segundo grupos de oposição e ativistas.

AE, Agência Estado

29 de junho de 2012 | 11h48

É difícil chegar a um número exato das mortes ocorridas na Síria, onde o trabalho de jornalistas e grupos de direitos humanos é proibido ou muito restringido.

Mas oposicionistas que documentam as fatalidades disseram que a onda de violência matou mais de 125 civis no país apenas na quinta-feira. De acordo com o Observatório Sírio para os Direitos Humanos, com sede em Londres, também ontem foram mortos mais de 60 soldados. Se confirmado, o número da matança de quinta terá sido um dos mais altos para um único dia desde o início do levante popular contra o presidente Bashar Assad, em março de 2011.

Ativistas disseram que pelo menos 43 pessoas foram mortas em mais de dois dias de bombardeiro no subúrbio de Douma, reduto da dissidência contra o regime sírio na capital do país. Os mortos incluem três crianças e cinco membros de uma única família.

Os ataques fazem parte de uma ofensiva do governo com o objetivo de controlar áreas de Damasco onde os rebeldes operam, particularmente Douma.

"Eles (os soldados do governo) estão tentando garantir o controle de Douma, mas enfrentam uma resistência feroz", disse Rami Abdul-Rahman, diretor do Observatório.

Representantes das potências mundiais se reunirão em Genebra neste sábado para discutir a violência na Síria, que já teria deixado mais de 15,8 mil mortos. As informações são da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Síriaviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.