Ataques deixam 54 mortos em mais um dia violento no Iraque

Pelo menos nove iraquianos morreram e outros dez ficaram feridos na explosão de uma bomba no bairro Nova Bagdá, no sul da capital, informaram fontes policiais. O atentado elevou para 54 o número de vítimas fatais da violência nesta terça-feira, um dos dias mais sangrentos das últimas semanas. Na segunda-feira, outras 50 pessoas morreram em decorrência de ataques a bomba em vários pontos da capital iraquiana e em outras regiões do país.Segundo as fontes, a bomba foi detonada às 21h locais (14h de Brasília) em uma panificadora na rua Al-Masbah, no referido bairro.As vítimas foram levadas para hospitais da região. Os serviços de emergência continuam trabalhando no local, e segundo a polícia o número de mortos pode aumentar nas próximas horas.Horas antes, 22 pessoas morreram e 59 ficaram feridas na explosão de um carro-bomba em um mercado popular do bairro de Al-Huseiniya, na região nordeste de Bagdá.Além disso, a polícia conseguiu desativar, pouco depois da explosão, outro carro-bomba que estava preparado para explodir na mesma zona.O atentado foi perpetrado quase duas horas depois de um ataque com um carro-bomba em Hillah, zona sul da capital. Ao menos 12 pessoas morreram.A explosão, que ocorreu perto de uma concessionária de carros no bairro Nader, causou também danos materiais em oito veículos que estavam estacionados próximos ao local, acrescentaram as fontes.A nova escalada de violência acontece um dia depois da morte de dois integrantes de uma equipe da rede de TV americana CBS, atacada enquanto acompanhava um comboio militar no centro de Bagdá. A jornalista Kimberly Dozier, que estava junto com o cinegrafista Paul Douglas e o operador de som James Brolan, ficou gravemente ferida. Na segunda-feira, atentados similares no Iraque deixaram dezenas de mortos.Dozier foi levada para o Centro Médio Regional, no sul da Alemanha. A unidade é o maior hospital militar americano no exterior. Terrorista detido O governo iraquiano informou nesta terça-feira que capturou um terrorista que confessou ter decapitado centenas de pessoas. O homem foi identificado pela unidade antiterrorista na segunda-feira como Ahmed Hussein Dabash Samir al-Batawi. A unidade também confiscou documentos, telefones celulares e computadores com informações sobre outros terroristas procurados e grupos extremistas islâmicos, de acordo com um comunicado emitido pelo governo.A policia de Bagdá também afirmou que três membros da Al-Qaeda no Iraque foram mortos durante conflitos no sul da cidade na sexta-feira. Os insurgentes mortos eram cúmplices do líder do grupo Abu Musab al-Zarqawi na região. A polícia recusou-se a fornecer os nomes dos terroristas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.