Ataques deixam pelo menos 5 mortos na Caxemira indiana

Cinco pessoas morreram nesta sexta-feira e pelo menos 16 ficaram feridas em cinco ataques com granadas, realizados em menos de uma hora, contra forças de segurança em Srinagar, capital do estado indiano da Caxemira, informou a rede de televisão local NDTV. Um dos mortos foi atingido por disparos de policiais, que eram direcionados aos agressores. Quatro grupos islâmicos radicais - Jamiatul Mujahideen, Jaish-e-Mohammad, Islamic Front e Almansoorian - assumiram a autoria dos ataques e afirmaram que sua intenção era provocar "baixas importantes", segundo informou a agência local PTI. Os alvos foram um caminhão que transportava soldados indianos em uma área muito movimentada da cidade; um posto policial perto do lago, principal atração turística de Srinagar; um veículo policial e um "bunker" das forças de segurança. Independência Cerca de 10 grupos radicais islâmicos atuam desde 1989 na parte indiana da Caxemira para exigir a independência da região ou sua anexação ao Paquistão. Desde então, mais de 60 mil pessoas morreram na Caxemira devido ao conflito. Desde 2004, porém, os atos de violência se reduziram significativamente, após Índia e Paquistão começarem um processo de paz. A Caxemira é um território montanhoso de maioria de população muçulmana dividido entre Índia e Paquistão desde a independência de ambos os países em relação ao Reino Unido, em 1947.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.