Ataques do governo paquistanês matam 39 militantes

Ataques aéreos e terrestres das forças militares do Paquistão mataram 39 militantes, como parte de uma operação iniciada meses atrás numa região tribal próxima à fronteira com o Afeganistão.

Estadão Conteúdo

27 de dezembro de 2014 | 10h09

A ofensiva aérea foi lançada na noite de ontem na área de Datta Khel, na região tribal de Waziristão do Norte, segundo comunicado divulgado por militares paquistaneses neste sábado. Os ataques também destruíram um sistema de túneis subterrâneos e um amplo arsenal de armas e munição. Vários líderes de militantes foram mortos na ofensiva, mas as identidades das vítimas não foram reveladas.

Também na sexta-feira, tropas do Paquistão emboscaram um grade grupo de militantes na fronteira das regiões tribais de Orakzai e Khyber, de acordo com o comunicado. No confronto, 16 militantes foram mortos e outros 20 ficaram feridos. Quatro soldados do exército também sofreram ferimentos.

Jornalistas não têm acesso às áreas conflagradas do Paquistão e não há como verificar as informações de forma independente.

O exército paquistanês alega ter matado mais de 1.200 militantes desde o início de uma grande ofensiva lançada no Waziristão do Norte, em 15 de junho, após o aeroporto de Karachi, o maior do país, ter sido alvo de um ataque terrorista. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Paquistãoviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.