Ataques do Taleban contra Otan e serviço secreto do Afeganistão deixam 1 morto

Ataques do Taleban contra Otan e serviço secreto do Afeganistão deixam 1 morto

Vítima era funcionária do Diretório Nacional de Segurança; quatro insurgentes morreram nos atentados assumidos pelo grupo terrorista

O Estado de S. Paulo

07 de julho de 2015 | 11h26

CABUL - Um ataque suicida contra as tropas da Otan e outro contra a agência de inteligência do Afeganistão nesta terça-feira, 7, deixaram três soldados feridos e quatro insurgentes mortos, informaram fontes do governo.

Um insurgente suicida detonou um veículo carregado de explosivos na passagem de um comboio da Otan por volta das 11h35 (4h05 em Brasília) em uma área populosa do leste da capital afegã, disse o porta-voz da polícia de Cabul, Ebadullah Karimi.

Karimi afirmou que três soldados da Otan ficaram feridos. O coronel Brian Tribus, porta-voz da missão da Otan no Afeganistão, descartou baixas entre suas tropas.

Duas horas mais tarde, três insurgentes suicidas atacaram um escritório do Diretório Nacional de Segurança (NDS) na mesma região, em uma ação que matou um funcionário da agência e todos os terroristas.

Um deles detonou as bombas que levava em um triciclo motorizado que funciona como táxi, na entrada do recinto e em seguida os outros dois entraram no escritório.

"Passados poucos minutos os outros dois rebeldes suicidas, que também usavam coletes com explosivos, foram abatidos por nosso pessoal antes que pudessem detoná-los", explicou o porta-voz da NDS, Haseeb Sediqi.

O porta-voz do Taleban Zabihullah Mujahid reivindicou a autoria dos dois ataques em sua conta no Twitter.

O número de ações insurgentes aumentou em todo o país desde o começo da tradicional ofensiva Taleban de primavera no final de abril, quando o grupo anunciou ações contra interesses estrangeiros, forças de segurança e órgãos judiciais. / EFE e REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
AfeganistãoCabulTaleban

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.