Ataques dos EUA deixam 15 mortos no Paquistão

Quinze pessoas morreram hoje em dois ataques com mísseis norte-americanos no noroeste do Paquistão, onde já houve ações similares, segundo autoridades locais. Trata-se de mais um episódio da guerra liderada pela CIA contra os rebeldes islâmicos do país. Os ataques ocorreram em duas aldeias no vale de Tirah, região de Khyber, disseram autoridades do governo e de inteligência do Paquistão, pedindo anonimato. Uma ação do mesmo tipo ocorreu ontem no vale.

AE, Agência Estado

17 de dezembro de 2010 | 08h46

A maioria dos mais de cem ataques com mísseis no ano no Paquistão ocorreu no Waziristão do Norte, uma zona tribal controlada pelo Taleban e pela Al-Qaeda. Existe a suspeita de que as autoridades paquistanesas tenham autorizado alguns desses ataques, ainda que o governo local proteste contra alguns deles. Já analistas consideram que a informação para várias dessas ações foi fornecida por agentes de inteligência do Paquistão.

Os mísseis, disparados por aviões não tripulados, atingiram casas nas aldeias de Speen Drang e Shandana, disseram as autoridades. Não se sabe o número exato de mortos em cada aldeia, apenas o número total. Vários líderes rebeldes já foram mortos pelos ataques com mísseis, mas esse recurso causa também protestos nacionalistas no Paquistão. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
PaquistãoEUAataquemísseis

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.