Ataques dos EUA matam 13 militantes da Al-Qaeda no Iêmen

Entre os mortos há dois supostos líderes do braço local da organização terrorista

Efe

31 de janeiro de 2012 | 10h02

SANAA - Pelo menos 13 supostos militantes da organização terrorista Al-Qaeda morreram na madrugada desta terça-feira, 31, em três bombardeios de aviões não tripulados americanos no sul do Iêmen, informou uma fonte dos serviços de segurança. Entre os mortos há dois supostos líderes da Al-Qaeda na Península Arábica, que tem no território iemenita sua base de operações.

 

Veja também:

especialESPECIAL: As franquias da Al-Qaeda

 

A fonte explicou que as autoridades estão checando as informações que apontam que um dos dirigentes é Nasir al-Wuhayshi, responsável pelo braço iemenita da organização.

 

O primeiro bombardeio teve como alvo uma reunião de "emires" do grupo na zona de Lauder, uma área montanhosa de difícil acesso situada na província de Abian, enquanto o segundo e o terceiro acertaram os veículos nos quais supostos terroristas tentavam escapar.

 

Segundo vários residentes da região, os militantes da Al-Qaeda cercaram na manhã desta terça-feira o local do ataque para recolher os corpos de alguns falecidos.

 

Lauder fica 60 quilômetros ao norte de Zinyibar, capital da província, onde ocorrem enfrentamentos diários entre o Exército e militantes da Al Qaeda, que em maio passado tomaram o controle da cidade até que em setembro as autoridades anunciaram sua retomada.

 

O último bombardeio americano no país árabe causou a morte do clérigo radical e dirigente da Al-Qaeda Anwar al-Awlaki em 30 de setembro passado. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.