Ataques dos EUA matam 15 militantes no noroeste do Paquistão

Mísseis disparados por supostos aviões teleguiados norte-americanos mataram ao menos 15 militantes em dois ataques no noroeste do Paquistão nesta quarta-feira, afirmaram autoridades de segurança.

HAJI MUJTAVA, REUTERS

15 de setembro de 2010 | 17h30

Os ataques atingiram militantes no Waziristão do Norte, um reduto da al Qaeda e do Taliban na fronteira com o Afeganistão.

Em um ataque antes do amanhecer, aviões teleguiados dispararam oito mísseis contra um complexo usado por militantes na região da cidade de Miranshah, matando 12 pessoas.

Horas depois, dois mísseis atingiram outro prédio na região de Datta Khel, a cerca de 40 quilômetros de Miranshah, matando ao menos três militantes.

Autoridades afirmaram que os mortos no primeiro ataque eram militantes paquistaneses filiados à rede Haqqani, uma das facções afegãs que lutam contra as forças estrangeiras. O grupo tem relações estreitas com a al Qaeda.

Não há confirmação independente das mortes e os grupos militantes geralmente contrariam as informações do governo.

Analistas de segurança dizem que a intensificação dos ataques com mísseis, particularmente no Waziristão do Norte, pode estar ligada ao atraso do Paquistão em iniciar novas ofensivas contra o Taliban em meio aos trabalhos após as fortes enchentes de agosto.

Os Estados Unidos consideram a região tribal do Paquistão como um centro global de militantes. Washington e o governo afegão exigem que o Paquistão aja contra facções afegãs do Taliban que lutam na região de fronteira.

(Reportagem adicional de Zeeshan Haider e Augustine Anthony)

Tudo o que sabemos sobre:
PAQUISTAOATAQUESMORTOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.