Ataques em áreas xiitas deixam 34 mortos no Iraque

Seis bombas explodiram em zonas xiitas de Bagdá hoje, matando 34 pessoas e ferindo mais de 90, em uma escalada da violência no Iraque. Os ataques ocorrem no momento em que os militares norte-americanos diminuem sua presença, com vistas ao prazo de 30 de junho para a retirada das tropas de combate dos Estados Unidos das cidades iraquianas. Sobreviventes furiosos lançaram pedras em soldados iraquianos no local de uma das explosões, em Cidade Sadr. Tropas dispararam para o alto para dispersar a multidão, atrapalhando inclusive pessoas que socorriam vítimas, segundo testemunhas.

AE-AP, Agencia Estado

06 de abril de 2009 | 12h28

Nenhum grupo reivindicou a autoria dos ataques. Porém um porta-voz militar dos EUA apontou que aparentemente trata-se de uma ação coordenada da Al-Qaeda. O atentado mais violento ocorreu em um mercado no oeste da capital, onde dois carros-bomba explodiram quase simultaneamente, matando 12 pessoas e ferindo 29 outras, segundo um oficial de polícia iraquiano. Funcionários norte-americanos insistem que a violência caiu 90% desde seu pico no país, em 2007. Contudo, um recente aumento dos ataques levanta o temor de que os extremistas possam estar se reorganizando.

Tudo o que sabemos sobre:
Iraqueviolênciamortes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.