Ataques em província do Paquistão deixam 16 mortos

Ataques contra baluquis não-étnicos neste sábado, no sudoeste do Paquistão, deixaram 16 mortos e oito feridos, segundo a polícia local. Os ataques devem aumentar as tensões na província do Baluquistão, onde um movimento nacionalista liderado por grupos armados da etnia baluqui luta por maior autonomia em relação ao governo central. Os ataques podem ter sido inspirados na data deste sábado, que marca a independência do Paquistão.

AE-AP, Agência Estado

14 de agosto de 2010 | 14h42

No primeiro ataque, homens armados pararam um ônibus 50 quilômetros a nordeste de Quetta, capital da província. O ônibus levava passageiros baluquis e não-baluquis, mas os homens armados identificaram aqueles que eram da província oriental de Punjab, os obrigaram a descer do veículo e atiraram, segundo policial Ismail Kurd.

O segundo ataque aconteceu em Quetta, onde homens armados invadiram uma casa e mataram seis trabalhadores de Punjab que a estavam pintando. Outros três ficaram feridos no ataque, disse o policial Hamid Shakeel.

A polícia não fez especulações sobre a autoria ou sobre uma possível ligação entre os dois ataques.

O Baluquistão é a maior província do Paquistão em área, cobrindo 44% do território do país. Acredita-se que aproximadamente metade dos 6,5 milhões de habitantes seja de origem baluqui. Os baluquis dizem que o governo explora a região, rica em recursos naturais, mas que a população vive em condições de pobreza. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Paquistãoindependênciaataque

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.