Ataques guerrilheiros no Iraque preocupam Chirac

O presidente da França, Jacques Chirac, acredita que o crescente número de ataques contra forças de coalizão no Iraque ressalta a necessidade de uma rápida transmissão de poder aos iraquianos, informou seu gabinete nesta segunda-feira. Chirac, um dos mais declarados opositores da guerra promovida pelos Estados Unidos, comentou que o aumento no número de ataques "reforça a convicção francesa de que precisamos mudar o curso" no Iraque, disse uma porta-voz do presidente francês depois de um encontro do chefe de Estado com o primeiro-ministro da Finlândia, Matti Vanhanen. Chirac está preocupado "com a deterioração da situação e, em particular, com a multiplicação dos ataques contra as forças de coalizão", disse a porta-voz presidencial sob condição de anonimato. Apenas em novembro, 37 militares americanos perderam a vida no Iraque. Na semana passada, a queda de um helicóptero e o abatimento de outro transformaram a primeira semana de novembro na mais sagrenta para as forças dos Estados Unidos desde 1º de maio, quando o presidente George W. Bush declarou encerrados os grandes combates no Iraque. Atualmente, a França contribui com ajuda humanitária aos iraquianos, apesar de não declarar exatamente em que quantidade. O governo francês não enviou tropas de manutenção de paz para auxiliar os soldados americanos depois da queda de Saddam Hussein, deposto da presidência iraquiana em abril.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.