Youssef Karwashan/AFP
Youssef Karwashan/AFP

Ataques israelenses à Síria deixam 15 mortos, afirma ONG

Agência estatal síria confirmou ataque com mísseis em Homs e perto de Damasco, mas estimou em quatro o número de mortos

AFP, O Estado de S.Paulo

01 de julho de 2019 | 07h42

Ao menos 15 pessoas, entre elas seis civis e nove combatentes, teriam morrido em ataques israelenses a alvos ligados ao Irã e ao Hezbollah na Síria nesse domingo, 30, informou a ONG Observatório Sírio para os Direitos Humanos (OSDH). Os ataques ocorreram nas proximidades de Damasco e na província de Homs. Agência estatal síria confirmou os ataques, mas fala em quatro mortos e 21 feridos.

"Não sabemos se os civis morreram nos bombardeios israelenses, em explosões de mísseis na região ou pela grande pressão provocada pelas explosões", afirmou o OSDH. Os bombardeios teriam atingido várias posições iranianas perto de Damasco e também teriam como alvos um centro de pesquisas e um aeroporto militar ao oeste da cidade de Homs, onde estão mobilizados combatentes do Hezbollah. 

Um dos combatentes pró-regime morto era sírio e os demais tinham outras nacionalidades, afirmou o diretor do OSDH, Rami Abdel Rahman. A agência de notícias estatal síria Sana informou durante a noite que quatro civis morreram, incluindo uma criança de três anos, e 21 ficaram feridos em um bombardeio israelense perto de Damasco. Também citou bombardeios em Homs. "Nossas defesas aéreas enfrentaram mísseis inimigos lançados por aviões israelenses", afirmou a agência.

Desde o início da guerra na Síria, em 2011, Israel bombardeou diversas vezes alvos do exército sírio, assim como forças do Irã e do Hezbollah libanês, aliados do regime de Bashar al-Assad e dois grandes inimigos do Estado hebreu implantados na Síria. Israel não costuma confirmar seus bombardeios na Síria, embora nos últimos meses tenha reivindicado várias operações.

O Estado hebreu sempre afirmou sua intenção de atacar as posições do Irã ou do Hezbollah na Síria.

Tudo o que sabemos sobre:
Síria [Ásia]Israel [Ásia]Hezbollah

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.