Ataques israelenses provocam dezenas de mortes no Líbano

Mísseis israelenses atingiram neste domingo novamente o aeroporto de Beirute e mataram pelo menos 36 pessoas em diversas partes do Líbano, horas depois de o primeiro-ministro de Israel, Ehud Olmert, ter advertido sobre "conseqüências de longo alcance" após o grupo xiita Hezbollah lançar foguetes contra a cidade de Haifa.No pior dos ataques, 16 civis libaneses morreram e mais de 50 ficaram feridos quando dois mísseis israelenses atingiram hoje um prédio de apartamentos na cidade portuária de Tiro, sul do Líbano. Vários outros prédios vizinhos também foram danificados.Oito membros da mesma família - todos com cidadania canadense e libanesa - também foram mortos durante um ataque de aviões israelenses contra o vilarejo de Aitaroun, na fronteira com Israel.Segundo o chanceler canadense, Peter Mackay, mais seis canadenses ficaram gravemente feridos. Segundo as tevês locais, a família tinha vindo do Canadá para passar as férias de verão com parentes.Enquanto isso, aviões israelenses lançaram pelo menos quatro bombas contra o aeroporto internacional de Beirute, incendiando um tanque de combustível. O aeroporto está fechado desde o início dos ataques israelenses, na quarta-feira, depois que suas pistas foram bombardeadas.Israel bombardeou portos, estradas, bases militares e centrais elétricas e novamente atacou a principal estrada entre Beirute e Damasco (Síria), que passa pelo Vale do Bekaa, no leste do Líbano.Israel praticamente isolou o Líbano, destruindo o aeroporto, pontes, estradas e bloqueando os portos do país, dificultando a fuga dos libaneses e a retirada dos estrangeiros. O Exército de Israel informou hoje que havia atingido mais de 130 alvos em Beirute e no sul do Líbano nas 24 horas anteriores.´Aconselhamento´A campanha de bombardeios de Israel - seu mais destrutivo assalto ao Líbano desde a invasão de 1982 para expulsar guerrilheiros palestinos - atraiu apenas um pedido de comedimento dos Estados Unidos."Nossa mensagem a Israel é: defenda-se, mas pense nas conseqüências, então pedimos que use de comedimento", disse o presidente George W. Bush durante reunião do Grupo dos Oito (G-8, composto por Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Grã-Bretanha, Itália, Japão e Rússia) em São Petersburgo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.