Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Ataques matam 43 no Paquistão

Duas bombas explodem em distrito de Lahore com grande concentração de militares

, O Estadao de S.Paulo

13 de março de 2010 | 00h00

Pelo menos 43 pessoas morreram e cerca de 100 ficaram feridas em dois ataques de militantes islâmicos na cidade de Lahore, no Paquistão. Os atentados foram vistos como um sinal de que os militantes ainda têm grande poder de ação, apesar de estarem enfrentando há meses grandes ofensivas do Exército e bombardeios de forças americanas.

"Esse é um ataque contra nosso povo e nosso país", disse Sajjad Bhutta, funcionário do alto escalão do governo de Lahore. Segundo uma fonte das forças de segurança paquistanesas, as explosões foram causadas por dois homens-bomba. Elas ocorreram quase simultaneamente, por volta das 12h45 locais (4h45 de Brasília). A primeira bomba explodiu perto de uma parada de ônibus e a segunda em uma rotatória. Dois veículos militares foram atingidos.

Os ataques ocorreram no distrito conhecido como RA Bazaar, uma área residencial e comercial na qual também se concentram edifícios do Exército e de outras agências e entidades que atuam na área de segurança no Paquistão. Pelo menos 10 dos mortos eram soldados, segundo o chefe da Polícia paquistanesa, Parvaiz Rathore.

As forças de segurança isolaram a área após as explosões e os serviços de resgate levaram os feridos a hospitais próximos. Imagens feitas por celular após a explosão mostram as chamas tomando conta das ruas de RA Bazaar.

REAÇÃO DO GOVERNO

O primeiro-ministro paquistanês, Yousef Raza Gilani, condenou o ataque. "Esse tipo de ato de violência covarde não vai minar o compromisso do povo do Paquistão de acabar com o terrorismo", afirmou em um comunicado oficial.

A cidade de Lahore, com mais de 7 milhões de habitantes, é considerada a capital cultural e intelectual do Paquistão. Trata-se de uma região menos conflituosa que o noroeste paquistanês, embora tenha sido palco de muitos ataques nos últimos anos.

No último dia 8, um suicida matou pelo menos 13 pessoas em um atentado contra escritórios de uma agência de segurança na cidade.

As duas explosões aumentaram o medo de que os militantes islâmicos estejam planejando uma onda de violência.

Ontem mesmo, após o ataque em RA Bazaar, cinco pequenas explosões na área residencial de Iqbal deixaram pelo menos três pessoas feridas e causaram pânico.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.