Ataques matam 9 fiéis muçulmanos no Iraque

Disparos de morteiros e bombas que tiveram como alvo fiéis muçulmanos mataram nove pessoas e deixaram 28 feridas nesta sexta-feira, em dois ataques no norte de Bagdá, logo após as orações do meio-dia. Os ataques aconteceram um dia depois de um atentado suicida contra um café em Bagdá, que matou 36 e deixou dezenas de feridos.

Agência Estado

19 de abril de 2013 | 12h17

A violência tem aumentado com a aproximação das eleições provinciais, marcadas para sábado. Serão escolhidos representantes locais em várias províncias de todo o país, dentre elas na capital, Bagdá. Autoridades têm prometido aumentar a segurança antes das eleições.

Segundo a polícia, o primeiro ataque ocorreu logo após as orações desta sexta-feira, quando os fiéis saíam da mesquita sunita de al-Muthana, em Khalis, matando sete pessoas e ferindo outras 14. Khalis, que já foi reduto da insurgência sunita, está localizada a 82 quilômetros ao norte de Bagdá.

Policiais disseram que parte da mesquita foi destruída pelo ataque com morteiros.

Na cidade de Kirkuk, uma bomba colocada à margem de uma via explodiu quando fiéis xiitas voltavam para casa após as orações na mesquita de al-Tamim, matando duas pessoas e ferindo 14.

Médicos de hospitais próximos confirmaram o número de mortos. Todas as fontes falaram em condição de anonimato, porque não estão autorizadas a falar com jornalistas. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Iraquemuçulmanosfiéisataques

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.