Ataques matam 90 policiais iraquianos nos últimos sete dias

Noventa policiais iraquianos morreram em ataques contra delegacias e patrulhas em várias partes do Iraque nos últimos sete dias, informou nesta quinta-feira o porta-voz do Ministério do Interior, comandante Abel Karim Khalaf. Além disso, outros 160 policiais ficaram feridos entre 26 de outubro e quarta-feira, disse Khalaf em declarações aos jornalistas em Bagdá. O porta-voz do Ministério do Interior afirmou ainda que, para atender as necessidades do país, sua pasta precisa de 90 mil voluntários para o corpo policial. Segundo o comandante iraquiano, o ministério fará na metade do mês um anúncio na imprensa para pedir aos jovens que se alistem voluntariamente na força policial. Khalaf destacou que haverá novas normas para que os novos voluntários se possam somar à Polícia. Nesta quinta, um atentado com carro-bomba no bairro xiita Cidade de Sadr, no leste de Bagdá, e outro ataque com bombas em Mossul, 400 quilômetros ao norte da capital, deixaram pelo menos sete mortos e 32 feridos. Segundo fontes do Ministério do Interior iraquiano, cinco pessoas morreram e 25 ficaram feridas devido à explosão de um veículo bomba em um mercado popular de Cidade de Sadr. As fontes disseram que a explosão aconteceu às 16h20 (10h20 de Brasília) no mercado de Miridi, especializado na venda de motocicletas usadas. Em outro ataque, pelo menos dois civis morreram e outros sete, entre eles uma criança e uma mulher, ficaram feridos depois que várias bombas atingiram uma casa em Mossul, segundo fontes policiais iraquianas. Nesta quinta, pelo menos onze pessoas morreram e 30 ficaram feridas em ataques e confrontos ocorridos em diferentes bairros de Bagdá e em Tal Afar, cerca de 470 quilômetros ao noroeste da capital, informaram fontes de segurança. Além disso, um professor universitário, sua mulher e seu filho morreram baleados no bairro de Al-Waziriya, no norte de Bagdá. Minas As forças de segurança iraquianas encontraram seis burros com minas contra veículos blindados perto da fronteira do Iraque com o Irã, informou o Exército americano. Segundo um comunicado do comando militar dos EUA, dois homens guiavam os animais, que levavam 53 minas de fabricação russa e italiana e um projétil. Os dois homens escaparam antes da chegada de uma patrulha da Polícia de Fronteiras pertencente à província de Diyala, ao nordeste de Bagdá, afirma a nota. O texto acrescenta que uma equipe de especialistas em explosivos das tropas da coalizão desativou os artefatos, e afirma que os animais, que não sofreram nenhum dano, ficaram na região. O documento não especifica quando os burros foram encontrados nem de onde procediam.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.