Ataques matam quatro iraquianos e polícia teme gases tóxicos

Pelo menos quatro pessoas morreram e 13 foram feridas em vários ataques nas últimas horas desta terça-feira, 27, ao sul de Bagdá, onde a polícia de Hilla alertou à população para o perigo de comprar perfumes, que podem conter gases tóxicos.Fontes policiais afirmaram que as quatro vítimas morreram num bombardeio com morteiros perto de uma mesquita em Iskandariya, 40 quilômetros ao sul de Bagdá. Outro templo muçulmano foi destruído na segunda-feira, 26, na mesma localidade.Um líder tribal sunita que é contra a Al-Qaeda foi o alvo de um ataque em Abu Ghraib, no oeste de Bagdá, envolvendo duas explosões que mataram o filho dele e outras três pessoas, disse uma autoridade provincial. O filho do xeque Thahir al-Dari está entre as quatro pessoas mortas em uma dupla explosão suicida de carros, disse Ahmed al-Dulaimi, chefe do escritório de imprensa do conselho provincial em Anbar.Parentes culpam a Al-Qaeda pelo ataque.Além disso, 13 pessoas foram feridas em outro ataque com bombas na mesma cidade, de população mista e considerada um reduto de rebeldes.A polícia da cidade de maioria xiita, a 100 quilômetros ao sul de Bagdá, avisou aos habitantes que não comprem perfumes porque podem conter substâncias tóxicas.As fontes policiais explicaram que alguns frascos de colônia à venda contêm gases tóxicos. As substâncias poderiam causar a morte se inaladas durante quatro dias.Os insurgentes começaram há vários meses a lançar ataques com produtos químicos, especialmente com caminhões carregados de explosivos e de gás cloro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.