Ataques na Nigéria deixam 63 mortos

Ataques com bombas e tiros tendo como alvo delegacias de polícias e igrejas na cidade de Damaturu, no nordeste da Nigéria, realizados na sexta-feira, deixaram pelo menos 60 mortos e cerca de cem feridos, segundo testemunhas. Uma fonte da Cruz Vermelha confirmou a morte de 63 pessoas.

REGINA CARDEAL, Agência Estado

05 de novembro de 2011 | 12h31

Nenhum grupo reivindicou a autoria dos atentados, mas residentes de Damaturu responsabilizaram a seita islâmica Boko Haram - cujo nome significa A Educação Ocidental é Pecado -, com sede na cidade próxima de Maiduguri.

Um advogado que visitou o hospital do governo em Damaturu em busca de um amigo desaparecido disse que contou 60 corpos na morgue. Ele encontrou o amigo, um policial, entre os mortos. "O hospital geral está cheio de feridos durante os ataques. Se disser que há centenas de feridos, não estou exagerando", confirmou um representante do governo local.

O norte da Nigéria é predominantemente muçulmano, com algumas comunidades cristãs. No bairro cristão de Jerusalém, em Damaturu, seis igrejas foram bombardeadas, além da central de polícia.

A seita Boko Haram, que defende a aplicação rígida da lei islâmica, ou sharia, reivindicou o bombardeio em 26 de agosto à sede das Nações Unidas na capital Abuja, que matou 24 pessoas. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Nigériaatentados

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.