Ataques na Síria matam ao menos 28 pessoas

Tropas bombardearam distritos ao norte da cidade de Alepo e fizeram ataques em várias partes do país

Agência Estado,

09 de setembro de 2012 | 11h28

Texto atualizado às 12h45

 

CAIRO - Tropas sírias bombardearam distritos ao norte da cidade de Alepo e realizaram ataques em várias partes do país neste domingo com a contagem de 28 mortes durante os confrontos, de acordo com informações do Observatório Sírio para os Direitos Humanos. Os bombardeios em Alepo destruíram casas no distrito de Midan, área considerada um bastião pelo regime e que os rebeldes estão tentando capturar desde sábado.

 

A principal fonte de água potável em Bustan al-Basha foi destruída no sábado por ataques aéreos e terrestres, de acordo com o observatório, enquanto residentes informam que enfrentam falta de água na cidade. O governador da província de Alepo, Mohammed Akkad, culpa terroristas por destruírem a fonte de água em Midan e outros dois aquedutos no distrito de Suleiman Al-Halabi.

 

Em Homs, duas bombas explodiram um ônibus carregando civis e tropas, matando pelo menos 4 pessoas e ferindo dezenas. Desde 1 de setembro, pelo menos 1.267 pessoas já foram mortas, com o total aumentando para 27 mil desde que o confronto teve início em março de 2011.

 

Enquanto isso, nos arredores de Damasco, tanques e helicópteros do regime de Bashar al Assad continuaram a atacar a região de Sayida Zeinab, ao sul da capital, e deixaram vários feridos, disse a rede Sham.

 

Além disso, a cidade de Yalda, na periferia de Damasco, foi bombardeada pelas tropas governamentais, disseram os Comitês de Coordenação Local.

 

(Com informações da Dow Jones e Efe)

 
Tudo o que sabemos sobre:
Primavera-ArabeSiriaAlepobombardeio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.