Ataques não ainda rompem linha de frente taleban

Os aviões de combate norte-americanos que bombardearam nesta quinta-feira linhas de frente e outros bastiões do Taleban não produziram significativos ganhos para a oposição, mas um comandante da oposicionista Aliança do Norte disse que suas forças serão capazes de avançar "em dias" - desde que os Estados Unidos mantenham a pressão.Os bombardeios atingiram depósitos de munição e combustível ao norte de Cabul, uma guarnição militar na província nortista de Takhar e, segundo notícias, uma hidrelétrica no sul do Afeganistão. Cabul foi também atacada na noite desta quinta-feira pela primeira vez nos últimos quatro dias.Os ataques ocorreram no momento em que a Turquia anunciava que vai enviar uma força especial de 90 homens para treinar tropas da Aliança do Norte, baseada no norte do Afeganistão, cujos combatentes têm reclamado por semanas que os bombardeios americanos não são suficientes para derrotar o Taleban.Apesar da força dos ataques e do incentivo da Turquia, não houve nesta quinta-feira mudanças na linha de frente entre a aliança e o Taleban, que é acusado de dar abrigo a terroristas responsáveis pelos atentados terroristas de 11 de setembro nos EUA.Oficiais do Taleban afirmaram que suas forças repeliram na quarta-feira três ofensivas da oposição depois de ataques aéreos contra posições talebans que defendem a cidade nortista de Mazar-i-Sharif.Oficiais da Aliança do Norte disseram estar preparando-se para uma grande ofensiva contra Mazar-i-Sharif. A captura da cidade permitiria aos opositores cortarem linhas de suprimento do Taleban no oeste do Afeganistão e abrir rotas para o Tadjiquistão e Uzbequistão, ao norte.Abdullah, o ministro do Exterior do governo no exílio, disse que a oposição será capaz em breve de romper as linhas de frente do Taleban caso os EUA mantenham intensos bombardeios.Ele afirmou a repórteres na cidade de Jabal Saraj, dominada pela oposição, que suas tropas alcançarão seu "máximo nível de preparação" e estarão prontas para quebrar a resistência taleban "dentro de poucos dias".Apesar do otimismo - e o reforço de tropas e armamentos da aliança nas proximidades dos fronts - a oposição parece estar em menor número e com menos armas na maior parte do país.O Taleban garantiu que o ataque da oposição em Dar-e-Suf, um distrito a sudeste de Mazar-i-Sharif, fracassou apesar dos bombardeios americanos. Diplomatas do Taleban em Islamabad, Paquistão, afirmaram que a oposição abandonou corpos de seus combatentes no campo de batalha.A declaração não pôde ser confirmada por fonte independente.Os ataques desta quinta-feira dos EUA ao redor da guarnição militar de Kala Kata, na província nortista de Takhar, seguiu-se a um dia de intensos bombardeios nas proximidades de Bagram, 50 quilômetros ao norte de Cabul, onde bombardeiros B-52 uniram-se à batalha para desalojar o Taleban de posições no caminho de Cabul.Nos últimos 11 dias, os ataques aéreos americanos deixaram de se concentrar em regiões urbanas em favor de posições da linha de frente taleban ao norte de Cabul e ao redor das cidades nortistas de Mazar-i-Sharif e Taloqan.Jatos dos EUA bombardearam nesta quinta-feira quatro vilas controladas pelo Taleban nas linhas de frente ao norte de Cabul, atingindo artilharia, tanques e posições que abrigam centenas de combatentes talebans, disseram lutadores da Aliança do Norte.A agência oficial de notícias do Taleban, Bakhtar, divulgou que aviões dos EUA danificaram uma hidrelétrica em Lashkar-Gah, que fornece energia para o bastião sulista da milícia islâmica de Kandahar e a vizinha província de Helmand. Ela também oferece irrigação para milhares de acres de cultivo, segundo a Bakhtar.Os Estados Unidos e seus aliados na coalizão antiterrorista esperam que a Aliança do Norte conquiste grandes avanços antes da chegada do duro inverno afegão, quando as operações militares se tornam extremamente difíceis.Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.