Ataques no Iraque deixam 8 mortos nesta 2ª feira

Autoridades iraquianas informaram que um suicida matou quatro militares iraquianos a oeste de Bagdá nesta segunda-feira. Outras quatro perderam as vidas em ações em outras partes do país.

Agência Estado

27 de janeiro de 2014 | 11h45

Policiais disseram que um suicida jogou seu carro, cheio de explosivos, contra um posto militar da cidade de Faluja, matando quatro soldados e ferindo 21. Em outro ataque, ao norte da capital, homens armados mataram o proprietários de uma mercearia e um parente dele. Uma bomba explodiu perto de uma série de lojas em Latifiyah, ao sul de Bagdá, matando duas pessoas. Toda as fontes falaram em condição de anonimato, porque não têm autorização para falar com a imprensa.

No domingo, pelo menos 26 pessoas foram mortas no país, vítimas da violência. Diplomatas de líderes estrangeiros pedem ao governo, liderado por xiitas, que atenda às exigências da comunidade sunita, com o objetivo de reduzir o apoio desse ramo do islamismo aos militantes.

Ações em Anbar, Bagdá e em várias áreas ao norte da capital também deixaram dezenas de feridos no domingo. O pior ataque aconteceu em Abu Ghraib, cidade sunita a oeste de Bagdá, onde oito pessoas morreram em incidentes separados: seis soldados foram mortos a tiros num ataque a um posto de verificação e duas após a explosão de uma bomba numa estrada movimentada.

Homens armados mataram quatro pessoas em dois ataques diferentes em Bagdá. Três carros-bomba explodiram na cidade de Kirkuk, deixando quatro mortos, e um outro foi detonado na cidade de Mishahda, matando três pessoas. Em Faluja, que há semanas não é controlada pelo governo, uma mãe e seus três filhos morreram quando um artefato explosivo atingiu sua casa.

Esses ataques elevaram o número total de mortos neste mês para mais de 850, mais de três vezes o número registrado em janeiro de 2013, segundo contagem da Associated Press.

A violência tem aumentado no Iraque no último ano, particularmente desde dezembro, depois que as autoridades desmantelaram um acampamento de protesto sunita e detiveram um deputado também sunita. Fonte: Dow Jones Newswires e Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Iraqueataquesjaneiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.