Ataques no Iraque deixam pelo menos 40 mortos

Treze homens armados morreram durante um ataque em retaliação a um confronto entre manifestantes e forças de segurança que já havia deixado 27 mortos na madrugada desta terça-feira no Iraque. Os atiradores foram mortos após atacarem postos de verificação militares nas regiões de Al-Rashad e Al-Riyadh, na província de Kirkuk.

Agência Estado

23 de abril de 2013 | 10h05

Os ataques aconteceram após um confronto entre forças de segurança e manifestantes nas proximidades de Hawijah, na também na província de Kirkuk, no qual pelo menos 27 pessoas morreram e cerca de 70 ficaram feridas, informaram autoridades.

De acordo com as fontes, havia homens armados infiltrados na manifestação realizada da cidade de Hawijah, mas um organizador do protesto afirmou que não havia ninguém procurado pelas forças de segurança participando do ato.

Segundo o organizador Abdulmalik al-Juburi, os confrontos em Hawijah geraram os ataques seguintes. "Houve ferozes confrontos que levaram ao assassinato de 13 revolucionários contra a polícia do governo", afirmou Juburi.

"Quando eles ouviram as notícias sobre os mortos e feridos numa manifestação pacífica, os filhos de tribos de todas a vilas de Kirkuk foram para as estradas e atacaram postos de verificação e quartéis militares, além de tomarem o controle de alguns desses postos de verificação por um curto espaço de tempo", disse ele.

Há mais de quatro meses manifestantes tomam das ruas de áreas majoritariamente sunitas do Iraque, pedindo a renúncia do primeiro-ministro Nouri al-Maliki. O grupo acusa o governo, liderado pelos xiitas, de atacar a minoria sunita no país. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
IraqueKirkuksunitasxiitas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.