Ataques no Reino Unido sujam imagem do Islã, diz pesquisa

Entre mil entrevistados, 71% dizem que imagem da religião no país é negativa

Efe

12 Julho 2007 | 14h52

Os ataques fracassados de Londres e Glasgow no mês passado mancharam a imagem pública que se tem do Islã, segundo os dados de uma pesquisa, divulgada nesta quinta-feira, 12. Uma pesquisa realizada pelo grupo do instituto Theos mostra que dos mil entrevistados, 71% consideram que os atentados frustrados prejudicaram a imagem da religião. Além disso, 54% das pessoas entrevistadas também afirmam que o ocorrido no Reino Unido prejudica a reputação das religiões em geral. A pesquisa indica que os jovens são os mais propensos a entender o Islamismo como uma religião violenta. Assim, 28% dos entrevistados, com idades entre 18 e 24 anos, acham que o islamismo é fundamentalmente uma religião de guerra, que entra em conflito com a cultura ocidental moderna. Apesar da tentativa de atentado contra o aeroporto de Glasgow, os entrevistados escoceses foram os mais positivos em suas análises: apenas 7% vêem o Islamismo como uma religião de guerra, contra 69% que a consideram pacífica. Segundo o diretor do instituto, Paul Woolley, "a tendência que deverá preocupar o Governo e os grupos comunitários é ver que os jovens, que geralmente têm um pensamento mais aberto à espiritualidade, são muito mais negativos em sua visão do Islã do que a população em geral". Os atentados frustrados aconteceram nos dias 29, quando dois carros-bomba foram desativados no centro de Londres, e 30, quando dois homens jogaram um Jipe carregado com bujões de gás - componente também encontrado nos veículos da capital - contra a porta do salão de embarque do aeroporto de Glasgow.

Mais conteúdo sobre:
Atentados Reino Unido Islã

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.